• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

© 2017 por Coletivo BSB no cabide 

AmandLa Gandhi e Elis Uchôa | bsbnocabide@gmail.com | whatsapp: + 55 61 9 9963-3057 | Brasília/DF

Dá pra ser FASHION & SUSTENTÁVEL?

22 Jun 2017

Post atualizado em 10 de Junho de 2018. 

 

 

          A onda Slow Fashion e da moda sustentável vem cada vez mais tomando o espaço entre as pessoas que pensam e produzem moda. Grandes nomes, como o de Stella McCartey já se preocupam com o impacto do vestuário no meio ambiente e há pouco tempo fez uma parceria com a Adidas com peças produzidas com tecidos de PET reciclado e algodão orgânico. Já no Brasil temos marcas veganas que usam materiais reciclados para produzir suas peças, como a Insecta Shoes, uma marca de sapatos que também pensa nos animais e é cruelty-free.

 

          Para quem não sabe, a indústria da moda é a segunda maior responsável pela poluição do mundo e com o consumismo aliado à tendência do fast fashion, nos faz comprar cada vez mais sem refletirmos o impacto ambiental que causamos no mundo ou até sobre o produto que estamos consumindo

 

 

 

          Diante disso surgiu o movimento slow e com ele as suas variadas áreas, como o Slow Food (contrário ao Fast Food) e o Slow Fashion (contrário ao Fast Fashion). O conceito slow vem para nos fazer refletir sobre o consumo e a produção do produto que consumimos, na moda ele surgiu em 2008 pela  design e professora do Centre for Sustainable Fashion, Kate Fletcher e tem como objetivo repensarmos toda a cadeia produtiva da moda, inclusive o seu reaproveitamento. Ela também fala sobre a nossa conexão com as roupas, algo que normalmente não levamos em conta na hora de comprar algo, além de não ligarmos muito para a durabilidade das peças e não pararmos para pensar que podemos investir mais em peças atemporais ao invés de algo que é uma tendência passageira e que não vamos usar mais depois.

 

 

 

DICAS PARA SER FASHION & CONSCIENTE

 

#1 EVITE O FAST FASHION

 

         Sabemos que é quase inevitável ver uma promoção na Fast Fashion e não entrar, mas tente pensar se realmente vale se deixar levar pela sedução. Lembre-se que essa moda que nos faz comprar cada vez mais não leva em consideração a durabilidade da peça e nem a produção, que na verdade é a maior vilã dos impactos ambientais no mundo. Pense não só no seu dinheiro (que acaba comprando algo sem durabilidade), mas também ambiental e socialmente.

 

 

#2 REAPROVEITE 

 

         Sempre temos aquela peça que não usamos mais e querermos jogar fora, mas sempre dá para transformar em algo diferente, como um vestido em saia e cropped, por exemplo. Até mesmo peças com defeito dá para dar uma customizada e continuar usando. Reformar pode ser sua primeira opção, ao invés de última! (também vale usar a peça até o fim!)

 

fonte: hardhatdesign

 

#3 COMPRE EM BRECHÓ

 

         Em todos os lugares da vida podemos encontrar um brechó ou bazar acontecendo. Quem compra nesses lugares sabe que dá para encontrar peças incríveis por preços pequenos e fazer aquele look legal. Até mesmo uma peça com tecido diferentão pode ser comprada para virar outra coisa completamente diferente (várias blogueiras já ensinam a fazer isso). Reaproveite mais uma vez com essa ideia!

 

 

 

#4 APOIE PRODUTORES E MARCAS LOCAIS

 

         Muito produtores locais, principalmente aqui em Brasília, são independentes, e comprando deles você apoia um comércio mais justo. Além disso, também pode incentivar uma produção e comércio mais éticos, limpos e conscientes. Na nossa cidade podemos encontrar em feiras independentes e em lojas colaborativas.

 

 

 

#5 PESQUISE ANTES DE COMPRAR

 

         Pesquise as suas marcas preferidas, veja se elas estão produzindo pensando em todo o processo de confecção da roupa, se elas não usam trabalho escravo e sim condições justas, além de terem iniciativas que pensem no meio ambiente. Lojas com coleções atemporais pode ser uma boa, ou até mesmo as que pensam no consumo mais consciente de seu público consumidor. Deixe claro que você é um cliente que gosta da marca e quer mais qualidade e não consumo.

 

 

 

#6 ALUGUE, EMPRESTE, DOE OU TROQUE

 

         Não quer mais usar e reaproveitar? Você pode doar ou trocar com alguém, assim você evitar jogar mais lixo no mundo e pode adquirir algo novo e ajudando outras pessoas a não consumirem tanto. Emprestando e pegando algo emprestado também é uma forma colaborar com isso, não é mesmo? Pratique o desapego.

 

         AH, sabe aquela festinha que você quer usar algo e geralmente comprar para usar uma única vez? Desencane disso e alugue algo para ir, dá muito certo! A ideia de que você precisa de algo novo e inédito é só mais um marketing para te seduzir e forçar a comprar mais e mais. Se nada der certo: transforme algo do seu guarda-roupa no seu look perfeito! 

 

 

         Agora já sabem, né? #SejaFashion&Consciente

 

         Confira o nosso vídeo em que conversamos um pouco sobre MODA CONSCIENTE

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Banco de Tecido e Nosso Tecido: a moda girando

FARM e Re-Roupa: um pouco mais sobre moda circular

Moda agênero e sustentabilidade na SPFW

FashRev 2019 tem 33 atividades em Brasília

ECONOMIA CIRCULAR E MODA

1/10
Please reload