• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

© 2017 por Coletivo BSB no cabide 

AmandLa Gandhi e Elis Uchôa | bsbnocabide@gmail.com | whatsapp: + 55 61 9 9963-3057 | Brasília/DF

Upcycling: descubra um novo amor

25 Feb 2018

Foto: reprodução| antextil 

 

            Durante todo o ano estima-se que 50 milhões de toneladas de roupas sejam descartadas, além da quantidade de tecidos que são desperdiçados nos cortes das roupas (20 toneladas apenas em São Paulo, aqui mesmo no Brasil).  É tanto tecido que nossa obrigação, como ser humano que ainda quer ter um planeta para morar, é repensar nosso consumo e encontrar soluções para o descarte desses produtos, que tornam a indústria da moda uma das maiores contribuintes para o caos ambiental que estamos vivendo. 

 

            Uma dessas soluções e possibilidades é o upcycling, que vem do recycling (reciclagem), mas com a diferença de que na reciclagem nós precisamos usar de processos químicos e físicos para desfazer as matérias primas (como as garrrafas PETs ou o alumínio) e transformá-las em outras. Já no outro pela combinação "up" com "cycling" temos a ideia de que algo passará a ter um novo status e valor, não de lixo e descarte, pois é feita a reutilização de um produto.

 

 Foto: Reprodução| FarmRio

 

            Na moda essa tendência vem ganhando força e marcas tanto de fast fashion, como a H&M,  e a loja conceito da rede Renner, YouCom, como em conceituadas como a Farm, que lançou no final do ano passado a coleção re-Farm re-Roupa, com peças feitas a partir do reaproveitamento de outras da marca que teriam algum tipo de defeito em novas e mais lindas. 

 

            Ainda sobre lojas e marcas que usam upcycling, existem algumas que só trabalham com peças feitas dessa maneira. Algumas já citamos aqui, como a Upcyqueen, Vicente Perrota e a Comas, destaques do Brasil Eco Fashion Week, de 2017. Na nossa Brasília podemos encontrar algumas nesse ramo, como o Saravá Brechó e a Drew.

 

Foto: Reprodução| Saravá Brechó 

 

            O Saravá Brechó, como já mostramos aqui, trabalha com a venda de peças usadas (o brechó, claro), mas também com criações próprias e o upcycling. A loja é da cidade de São Sebastião e já ganha indicações de vários amantes do slowfashion pelo país inteiro.

 

 Foto: Reprodução| camisaria Drew

 

            A camisaria Drew é de Sávio Drew, um brasiliense de 22 anos, que no ano passado foi finalista do concurso de moda Novos Talentos GQ+Reserva. A revista GQ, que prioriza roupas masculinas,  tinha como objetivo destacar designers com preocupação em reutilização e reciclagem de roupas e tecidos. Para chegar até aí, Sávio utilizou peças com defeitos, principalmente camisas e camisetas, de fábricas de São Paulo, para fazer novas. Além disso ele faz golas, mangas, bolsos e outras partes das peças de sua marca com o mesmo material.

 

          Além do upcycling, você pode impactar menos o meio ambiente comprando de brechó e bazar, de marcas minimalistas e que usem matérias primas que impactem menos o nosso planeta. Confira sempre se a marca cumpre com a proposta de moda limpa ou se não é apenas um marketing ecológico. A responsabilidade também é sua!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Banco de Tecido e Nosso Tecido: a moda girando

FARM e Re-Roupa: um pouco mais sobre moda circular

Moda agênero e sustentabilidade na SPFW

FashRev 2019 tem 33 atividades em Brasília

ECONOMIA CIRCULAR E MODA

1/10
Please reload